HOME | ARCHIVIO RIVISTA MARIA AUSILIATRICE 2000-2012 | ADMA ON LINE 2008-2012INFO VALDOCCO  
Via Maria Ausiliatrice 32 - 10152 Torino-Valdocco | ADMA Valdocco: adma.torino@tiscali.it  |

 

ADMA on LINE

ADMA: ASSOCIAÇÃO DE MARIA AUXILIADORA
 Mensagem Mensal :  24 de outubro 2016
   

Maria nos exorta a fazer com que a oração seja vida

Dom Bosco fundou a Associação de Maria Auxiliadora por ter se surpreendido com as inúmeras graças e inúmeros milagres que as pessoas atribuíam à intercessão de Maria Auxiliadora: "Cada canto, cada tijolo desta sagrada construção recorda um benefício, uma graça obtida por esta augusta Rainha do céu". Maria é auxílio: é preciso rezar a ela, invocá-la, pedir a sua intercessão e o seu patrocínio.
Um aspecto típico do associado da ADMA é a capacidade de reconhecer as graças recebidas pela intercessão de Maria Auxiliadora, de Dom Bosco, dos santos e beatos da Família Salesiana, e saber render graças, mostrar os favores recebidos, dar uma oferta para as obras salesianas. Os verdadeiros devotos da Auxiliadora sabem reconhecer os sinais de sua presença e de seu amor e por isto a invocamos e a agradecemos com coração puro e aberto.
Maria nos exorta a nos inspirarmos em sua vida terrena a seu exemplo. A sua vida foi repleta de alegria, de dores, de silêncio e de uma imensa fé e confiança no Pai Celeste. Com a sua existência nos recorda que nada é por acaso: nem a dor, nem a alegria, nem o sofrimento, nem o amor. Tudo é graça que Deus nos dá e que nos conduz à vida eterna. Maria nos ensina a amar e rezar em Jesus e com Jesus, isto é, rezar no silêncio da própria alma e não apenas recitar com as palavras. Ama-se e se reza também com o mais simples gesto feito em nome de seu Filho; como a paciência, a misericórdia, a aceitação da dor e o sacrifício feito pelos outros.
Maria nos exorta a viver a oração em união com Deus, a sintonizar-nos com ele, para que toda a oração seja vida. Somente assim o nosso coração ficará pleno de paz e de alegria, experimentaremos Deus próximo como um amigo, e falaremos com ele como falamos com as pessoas que conhecemos, que temos familiaridade e o sentiremos vivo em nosso coração. Maria quer que tenhamos uma oração de nós para com Deus, um conversar com Jesus e escutar Jesus. Quando a oração dos lábios entra no coração, na mente, nos tornamos testemunhos, pois não podemos viver sem Deus: somos criados à sua imagem e sem Ele não podemos viver. Deus chega a nosso nível, nos livra de toda treva e nos diz: "Olha, que você está se enganando, volte, eu estou aqui como Pai misericordioso, estou aqui como a sua esperança, a sua paz, a sua alegria, pois não encontrará mais alegria além daquela que Eu lhe dou". Tomemos a decisão de viver em profunda comunhão com Deus e de preferir a amizade com ele a qualquer outro bem. Maria está conosco e nos ajuda.
Queremos exprimir uma saudação especial ao novo Reitor da Basilica de Maria Auxiliadora, Pe. Cristian Besso, que como Conselho da ADMA Primária, já tivemos a oportunidade de encontrar. Desejamos a ele votos de uma boa missão e lhe asseguramos nossa presença e orações. O artigo 9 de nosso Regulamento diz: "A Associação de Maria Auxiliadora está unida vitalmente ao Santuário de Turim, Valdocco. Pode-se dizer que Maria não só interveio na construção, segundo o testemunho de Dom Bosco, mas estendeu o seu patrocínio a todo o mundo. Eis porque a Associação é chamada a manter-se unida a este lugar sagrado". Por tal vínculo carismático e histórico desejamos crescer na comunhão e na colaboração com o Reitor da Basilica e com toda a comunidade pastoral do santuário.


Sr. Lucca Tullio, Presidente & Pe. Pierluigi Cameroni SDB, Animador Espiritual


Caminho formativo: Amoris Laetitia
2. A realidade e os desafios das famílias - Pe. Silvio Roggia, SDB

Citando João Paulo II, Papa Francisco inicia o segundo capítulo de Amoris Laetitia dizendo que "é salutar prestar atenção à realidade concreta, porque 'os pedidos e os apelos do Espírito ressoam também nos acontecimentos da história' através dos quais 'a Igreja pode ser guiada para uma compreensão mais profunda do inexaurível mistério do matrimônio e da família'" (AL 31).

Libera nos Domine

Com um olhar realista, o Papa e os padres sinodais falam dos grandes desafios que a família enfrenta nos dias de hoje. Uma ao lado da outra, tornam-se como uma triste ladainha de pedidos de ajuda que, quando eu era criança, se recitava, ainda em latim, durante as orações, quando o pároco, em procissão, como Bom Dia, abençoava os campos e os vinhedos de Langhe, onde cresci: "A fulgure et tempestate... Libera nos Domine!"
Individualismo exagerado que perverte laços familiares; o ritmo da vida moderna, o estresse, organização social e do trabalho, fatores culturais que colocam em risco a possibilidade de escolhas permanentes; confundir a liberdade genuína com a ideia de que cada um pode julgar como lhe apraz; um ideal teológico de casamento deveras abstrato, quase artificialmente construído, longe da situação concreta e das reais possibilidades das famílias, não quer dizer que o casamento não seja mais desejável e atraente, mas exatamente o oposto; transfere-se às relações afetivas o que acontece com os objetos e o ambiente: tudo é descartável, todo mundo usa e joga fora, desperdiça e quebra, explora e suga enquanto serve; vivemos em uma cultura que incentiva os jovens a não iniciar uma família, porque lhes faltam possibilidades para o futuro; as crises conjugais frequentemente ocorrem de modo tão sombrio e sem a coragem da paciência, da verificação, do perdão recíproco, da reconciliação e também do sacrifício; a sociedade de consumo pode também dissuadir as pessoas de terem os seus filhos, e ainda só para manterem a sua liberdade e o próprio estilo de vida; uma situação geral de impotência em relação à realidade socioeconômica, que frequentemente acaba esmagando as famílias; a exploração sexual de crianças é uma das realidades mais escandalosas e perversas da sociedade de hoje; as migrações são outro sinal dos tempos a serem enfrentadas e compreendidas com toda a carga das consequências da vida familiar; a eutanásia e o suicídio assistido são sérias ameaças para as famílias em todo o mundo; as famílias são frequentemente afetadas por uma enorme ansiedade... Libera nos Domine!
Ter os pés bem firmes na terra, absolutamente não impede os olhos de olharem para cima e enxergarem longe. Papa Francisco, no encerramento deste segundo capítulo com as palavras dos bispos da Colômbia afirma com igual vigor que nessas situações nas quais as famílias vivem nos dias de hoje, temos todas as razões para termos esperança e transformarmos a vida com a força da caridade.
As realidades que nos preocupam, são desafios. Não caiamos na armadilha de nos consumirmos em lamentações autodefensivas, em vez de suscitar uma criatividade missionária. Em todas as situações, 'a Igreja sente a necessidade de dizer uma palavra de verdade e de esperança.[...] Os grandes valores do matrimônio e da família cristã correspondem à busca que atravessa a existência humana'. Se constatamos muitas dificuldades, estas são - como disseram os bispos da Colômbia - um apelo para 'libertar em nós as energias da esperança, traduzindo-as em sonhos proféticos, ações transformadoras e imaginações da caridade' (AL 57).

A sabedoria escondida na genealogia

Há uma leitura no Breviário em que Santo Agostinho, dezesseis séculos atrás, iria puxar as orelhas aos seus fiéis de Hipona, quando eles se lamentavam sobre os 'bons velhos tempos' e se queixavam dos problemas presentes. Cada tempo tem seus desafios e seus dons e contém nossa melhor preparação para exprimirmos o melhor de nós mesmos, pois é o que temos à nossa disposição no momento. Mas do passado se pode aprender a não se assustar nem desanimar com o hoje.
Visto que já citamos as ladainhas nos parágrafos precedentes, continuemos no mesmo assunto e vamos dar u'a olhada naquela longa ladainha de nomes com a qual Mateus começa seu evangelho, onde ele nos apresenta a árvore genealógica desde "José, o esposo de Maria, de quem nasceu Jesus, chamado Cristo" (Mt 1:16). É um concentrado de história na forma mais coesa possível: cada geração abreviada em um só nome.
E aqueles nomes dizem tanto. Mostram curvas perigosas, momentos radiosos, mas também noites escuras e tenebrosas entre os antepassados da família de Nazaré, na qual Deus escolheu nascer e crescer.
Não há necessidade de ir a fundo no passado de cada um deles. Peguemos apenas dois versículos, o 5 e o 6, porque se referem a um anel desta cadeia, particularmente importante:
Davi. "Salmon gerou Booz, de Raab. Booz gerou Obed, de Rute. Obed gerou Jessé. Jessé gerou o rei Davi. O rei Davi gerou Salomão, daquela que fôra mulher de Urias".
É uma esplêndida imagem do passado da família de Jesus, mesmo porque tem o sabor dos altos e baixos da história familiar de todos nós. Raab é a prostituta de Jericó que com a sua estratégia favorece o ingresso dos Israelitas na terra Prometida (segundo capítulo do livro de Josué). Rute é uma estrangeira, imigrante no território de Israel de Moab, do outro lado do Mar Morto, e ela é a avó de Davi. Quanto a Salom?o, n?o é fácil se esquecer das circunstâncias de seu nascimento, Davi se encanta com Betsabé, vista por ele do alto de seu terraço enquanto ela se banhava; Davi,com atitudes que vão de mal a pior, chega a fazer com que Urias, o marido de Betsabé,morra para que fique encoberto o adultério que ele próprio, o rei, havia cometido (2 Samuel cap.11).
Palavra de Deus! Certamente. A nossa história exatamente como é: foi justamente ali que Deus veio colocar a sua tenda, fazer-se carne, fazendo-a se transformar em história de salvaç?o.
"Todo homem é uma história sagrada": é um dos grandes livros de Jean Vanier, fundador da comunidade da Arca, companheira de milhões de famílias sofredoras no mundo todo. Toda nossa história se resume no mesmo mistério de morte e ressurreição, que está dentro da história da humanidade toda, mostrada abertamente na narração que vai desde Adão até a aliança do Cordeiro com a nova Jerusalém, com o que se encerra a última página da Biblia.
Será que a experiência de Maria de Nazaré no Cenáculo, com aquela estação sem fim aos pés da Cruz, com um peso de um AMÉM (STABAT MATER!), foi menos empenhativa, menos ligada a tempos difíceis? É um consolo ver que o início do ministério de Jesus coincide com uma história de família que começa no dia do casamento, e é Maria, naquela vila de camponeses a 14 km de sua casa, que transforma um momento crítico no que "em Caná da Galiléia, foi o primeiro milagre de Jesus; ele manifestou a sua glória, e os seus discípulos creram nele" (Jo 2:11).

Não menos encorajador é ver que o início da família da Igreja, com Maria, que é como Mãe para João e para os outros, como conta Lucas nos primeiros capítulos dos Atos dos Apóstolos, não foi um "mar de rosas": as perseguições, a mentira de Ananias e Safira, os problemas ligados ao crescimento da comunidade, onde "houve queixas dos gregos contra os hebreus, porque as suas viúvas teriam sido negligenciadas na distribuição diária" (At 6:1), a dispersão após o apedrejamentode Estevão... Eram os dias de Pentecostes mas não estavam isentos dos problemas que temos hoje, que temos que enfrentar e que farão sempre parte desta peregrinação neste vale de lágrimas. Deixemos que Papa Francisco cite isto:
Se constatamos muitas dificuldades, estas são - como disseram os bispos da Colômbia - um apelo para "libertar em nós as energias da esperança, traduzindo-as em sonhos proféticos, ações transformadoras e imaginação da caridade". (AL 57)

O kairos das devoções marianas

KAIROS é uma das palavras mais preciosas do evangelho grego: é o "dia da salvação" sobre o qual escutamos na leitura da Missa que abre o caminho quaresmal, o momento favorável, o cumprimento das promessas. Mas é a mesma palavra que se usa para dizer primavera ou outono, isto é, a traduçãono evangelho grego do termo "estação".
No dia 3 de novembro de 1846 aconteceu a estação/kairos do retorno de Dom Bosco a Turim, após longa convalescença depois da doença que quase o matou, e, da qual fora salvo devido às orações de seus meninos. Percorre todo o caminho a pé (33 km), junto com a sua mãe Margarida, a quem pedira para o acompanhar para ser a mãe dos seus meninos.
Margarida fazia parte da confraria de Nossa Senhora das Dores em Castelnuovo, a mãe de José Cafasso era presidente desta confraria, José Cafasso era o santo padre quatro anos mais velho que Dom Bosco, seu orientador em tudo. Vamos colocar juntos, os pedacinhos deste mosaico. João Bosco cresceu nos Becchi, e, na sua infância,aprendeu a rezar a Maria, Nossa Senhora das Dores, justamente numa época de sua vida marcada pela morte do pai, pela pobreza que frequentemente se transforma em miséria, pela necessidade de sair de casa por três anos devido às incompreensões por parte de seu irmão Antonio... Nossa Senhora, Mãe das Dores, é uma presença que dá força para se continuar naquela pequena casa dos Becchi e ali ensina-lhe a "ser humilde, forte e resistente", em vista de um futuro não menos desafiador do que o que já estava experimentando em sua infância.
Em Chieri, João adolescente aprende a confiar sem reservas em "Nossa Senhora das Graças" à qual lhe faz se tornar devoto, o seu amigo Comollo... Entre as graças que recebe, pelas quais toda a Família Salesiana é imensamente grata a Maria, há a graça de dizer o seu sim à sua vocação e entrar para o seminário: situação nada fácil naquele tempo de juventude vivido em Chieri. Como o próprio Dom Bosco disse, um Kairos que se cumpriu de maneira resoluta, no último dia da novenasobre "o que fazer de minha vida", que ele e Comollo fizeram bem no altar de Nossa Senhora das Graças, na catedral de Chieri.
E agora, João e Margarida, chegam a Valdocco a pé, com a mãe que se consola a brincar sobre a sala vazia ao entrar na Casa Pinardi: "Nos Becchi, eu tinha que trabalhartodos os dias para deixar a casa em ordem, limpar os móveis, lavar a louça. Aqui poderei descansar muito mais". O Santuário da Consolata fica a dez minutos. A primeira imagem de Nossa Senhora que Dom Bosco leva para Valdocco é a imagem de papel machê da Consalata: Maria, fonte de toda consolação porque foi aquela, que mais do que qualquer outra pessoa, acolheu o Espírito Consolador, a "Consolata". Mais uma vez: uma perfeita sintonia entre esta presença de Maria, esta "devoção" e a época de vida que Dom Bosco vivia. Dom Bosco e Mamãe Margarida tornaram-se rapidamente a família de centena de órfãos, foram a fonte de consolação e conforto para muitos filhos que haviam perdido o calor de uma casa.
Deixando-nos acompanhar por Maria, que sabe se aproximar do modo certo em cada uma das novas estações da vida, como as mamães sabem fazer, "toda estação/kairos é perfeita, assim como o é a sua duração tanto para nós, como para todos que estão por perto". Cada estação nos oferece uma oportunidade a mais para crescermos no amor. E se a estação tiver a forma da cruz, nunca percamos a coragem. Ninguém melhor que ela sabe do que se trata, e ninguém melhor que ela pode fazer com que cada etapa se torne o kairos mais precioso de todos, onde "não há amor maior".

Sementes … para debulharmos

" Eu tento levar a sério o convite de Papa Francisco de "não cairmos na armadilha de nos desgastarmos com lamentações autodefensivas" diante das contrariedades e problemas. É possível falar das dificuldades, e ainda "liberar em nós as energias da esperança, traduzindo-as em sonhos proféticos, ações transformadoras e imaginações da caridade", assim como ele está fazendo dirigindo a Igreja.
" Estamos no período do ano em que recordamos junto com todos os santos, os nossos falecidos. Tento ver com os olhos de misericórdia e de louvor, a história de minha família, a minha árvore genealógica: as raízes do passado, desde onde conhecemos, e também as ramificações do presente, de meus laços familiares: é uma história sagrada, como o é a história de cada pessoa.
" Com reconhecimento recordo as "devoções marianas" que acompanharam as estações de minha vida: isto poderia se traduzir em uma descoberta surpreendente de como Maria fôra a mão da providência para cada "kairos" que vivi. E se olho para frente, a sua presença se torna um convite para, sem dúvida,"liberar em nós, as energias da esperança".
Oração de Madre Teresa pela família

Pai do Céu deu-nos um modelo de vida
na Sagrada Família de Nazaré.

Ajudai-nos, Pai de amor, a fazer da nossa família
uma outra Nazaré onde reine o amor, a paz e a alegria;
que possa ser profundamente contemplativa,
intensamente eucarística e vibrante de alegria.

Ajudai-nos a estarmos juntos na alegria e na dor,
graças à oração em família.

Ensinai-nos a ver Jesus nos membros
de nossa família,
sobretudo a descobrir a Sua Face
escondida no sofrimento de cada um.

Que o coração eucarístico de Jesus faça os nossos corações
mansos e humildes como o Vosso, e ajudai-nos a fazer
santamente os nossos deveres familiares.

Que possamos nos amar
como Deus ama a cada um de nós, sempre mais a cada dia,
e perdoar-nos as nossas faltas
como Vós perdoais os nossos pecados.

Ajudai-nos, Pai de amor, a receber cada coisa
que Vós nos dais e a entregar, com um grande sorriso,
tudo aquilo que Vós nos pedis.

Coração Imaculado de Maria, causa de nossa alegria, rogai por nós.
São José, rogai por nós.
Santos Anjos da Guarda, estejam sempre conosco, guiem-nos e protejam-nos. Amém.

Madre Teresa de Calcutá
oração escrita em 1994, ano mundial da família


NOTÍCIAS


No dia 12 de setembro de 2016 foi inaugurada a nova versão do site da ADMA http://www.admadonbosco.org/
Com um desenho gráfico mais atraente, com diversidade de conteúdos e algumas sessões novas, a página oferece aos visitantes maiores oportunidades de informações, comunicações e formações. Um muito obrigado a todos aqueles que colaboraram com este trabalho de reestruturação de nosso site.

COACALCO (MÉXICO) ADMA DOS JOVENS
Nos dias 13 e 14 de agosto, o grupo juvenil da ADMA do Centro Juvenil Salesiano de Coacalco (México) teve o retiro com o tema "Maria Auxiliadora, Mãe da misericórdia". Participaram cerca de 30 jovens entre 16 e 21 anos, provenientes das cidades vizinhas. Ficaram muito satisfeitos e com um compromisso de serem misericordiosos à exemplo de Maria, com o único objetivo de chegarem a Jesus.

GUARUJÁ BRASIL - NOVO GRUPO DA ADMA
No dia 13 de setembro de 2016, Pe. Natale Vitali, Conselheiro para a Região América Cone Sul, acolheu o compromisso dos membros do primeiro grupo da Associação de Maria Auxiliadora (ADMA) na cidade de Guarujá.

ÍNDIA - A FAMÍLIA SALESIANA ENCONTRA OS DELEGADOS MUNDIAIS
Nova Deli - setembro de 2016 - No dia 15 de setembro, o Delegado do Reitor-Mor para a Família Salesiana, Pe. Eusébio Munhoz, o Delegado Mundial dos Cooperadores Salesianos, Pe. Giuseppe Casti, e o Delegado Mundial das Voluntárias de Dom Bosco, Pe. Joan Luís Playá visitaram a Inspetoria de Nova Deli (INN), encontrando e animando os representantes dos vários grupos da Família Salesiana da Inspetoria INN.

LUBUMBASHI - CONGO
"Em setembro tivemos o nosso encontro de formação baseado no Amoris Laetitia, os participantes discutiram sobre a família hoje. Decidimos partilhar a exortação de Papa Francisco a cada mês. Encorajamos os jovens a descobrirem a alegria da vida familiar com Maria Auxiliadora e o Santíssimo Sacramento. Deus abençoe todos os membros da ADMA no mundo. Permaneçamos unidos em Maria Auxiliadora. (Pe. Albert KABUGE).

Intenção missionária
Para que todos os Salesianos de Dom Bosco redescubram a alegria e a responsabiidade da evangelização.

Testemunho de santidade
Pe. Rosario Stroscio, superior religioso, assim conclui o anúncio da morte do Servo de Deus Pe. Francesco Convertini (1898-1976), missionário na Índia: "Os que conheceram Pe. Francesco, recordarão sempre com amor, dos pequenos avisos e exortações que ele costumava dar no confessionário. Com a sua voz tão fraca e ainda tão repleta de ardor: 'Amemos as almas, trabalhemos só pelas almas... Aproximemo-nos das pessoas... Tratemos todos de forma que eles compreendam que os amamos...'. Toda a sua vida foi um magnífico testemunho da técnica mais fecunda do ministério sacerdotal e do trabalho missionário. Podemos sintetizá-la na simples expressão: 'A fim de ganhar almas para Cristo, não há meio mais poderoso do que a bondade e o amor!'".


   INFO ADMA     -     INFO ADMA     -     INFO ADMA    -     INFO ADMA      

SEDE ADMA | Torino-Valdocco, Italia: ADMA | Santuario Basilica di Maria Ausiliatrice
Via Maria Ausiliatrice 32 | 10152 TORINO-VALDOCCO / ITALIA
Tel.: 0039-011-5224216 / Fax.: 0039-011-52224213
E-mail: adma.torino@tiscali.it 
                  
Presidente ADMA: Signor LUCCA TULLIO ((encargo até 2014) E-mail: lucca.tullio@alice.it
Animador Espiritual da ADMA: Don Pier Luigi CAMERONI |
Casa Generalizia SDB - Via Pisana 111 - 00163 ROMA -
E-mail: pcameroni@sdb.org
                       
Internet: www.donbosco-torino.itwww.admadonbosco.org



Visita Nr.