HOME | ARCHIVIO RIVISTA MARIA AUSILIATRICE 2000-2012 | ADMA ON LINE 2008-2012INFO VALDOCCO  
Via Maria Ausiliatrice 32 - 10152 Torino-Valdocco | ADMA Valdocco: adma.torino@tiscali.it  |

 

ADMA on LINE

ADMA: ASSOCIAÇÃO DE MARIA AUXILIADORA
 Mensagem Mensal :  24 de novembro 2015
   

Maria exorta-nos a nos decidirmos pela santidade

Em nosso caminho de fé, estamos sempre acompanhados da solícita e materna companhia de Maria, que é Auxiliadora da Igreja e das famílias nestes tempos não fáceis e de ataque à fé. Precisamos ser mais dóceis e atentos ao que Maria quer de nós, facilmente deixamo-nos iludir por um modo de viver que não está à escuta da vontade de Deus e não responde ao seu chamado.
Maria lembra-nos que a nossa vocação fundamental é a da santidade, ou seja, viver na amizade com Deus, viver como seus filhos. Para nós, que nos inspiramos na espiritualidade de São Francisco de Sales, este é o ponto caro e familiar. Este grande santo, de fato, em sua obra Introdução à vida devota, convidava a todos à santidade: "Na criação, Deus mandou que as plantas dessem frutos, cada uma segundo o próprio gênero: da mesma forma, aos Cristãos, plantas vivas da Igreja, manda levarem frutos de devoção, cada um segundo a própria natureza e a própria vocação. A devoção deve ser vivida de maneira diversa pelo cavalheiro, pelo artesão, pelo doméstico, pelo príncipe, pela viúva, pela noiva, pela esposa; mas não basta, o exercício da devoção deve ser proporcional à força, às ocupações e aos deveres de cada um. Se a devoção é autêntica, nada se destrói, mas tudo se aperfeiçoa; e quando vai contra a legítima vocação, sem dúvida, é falsa. Pretender eliminar a vida devota do quartel do soldado, da oficina do artesão, da corte do príncipe, da intimidade dos esposos, é um erro, ou melhor, uma heresia. Pouco importa onde nos encontramos: em qualquer lugar podemos e devemos aspirar à devoção". Desta maneira, o caminho da santidade nos faz descobrir como cada um de nós é amado por Deus, como cada um de nós é irrepetível e insubstituível aos seus olhos.
Nestas preocupações não estamos sozinhos, estamos acompanhados pelo exemplo e pela intercessão de muitos homens e mulheres que também em nosso tempo resplandecem por seus testemunhos brilhantes de santidade. Pensemos nos pais de Santa Terezinha, Luiz e Zelia Martin, que recentemente foram declarados santos. Pensemos nos numerosos mártires que, com coragem, testemunharam a sua fé até o derramamento de seu sangue.
Sintamo-nos unidos nesta maravilhosa aventura e, como recorda a Carta aos Hebreus: "Exortai-vos mutuamente todos os dias, durante o tempo que se chama "hoje", de maneira que nenhum de vós seja embrutecido pelo engano do pecado".

Sr. Lucca Tullio, Presidente
Pe. Pierluigi Cameroni SDB, Animador Espiritual

Com Maria e como Maria
Regenerados em Sua Misericórdia

_____________________________________________________________________

3. A missão da igreja é fruto da misericórdia divina / Ir. Linda Pocher FMA

Mandados pelo Pai, como Jesus
Neste Ano Santo, o Papa convida-nos a assumir pessoalmente "a missão de anunciar a misericórdia de Deus, coração pulsante do Evangelho", que por nosso meio"deve atingir o coração e a mente de cada pessoa" (MV 12). A palavra "missão" não é por acaso, mas, lembra-nos que esta não é uma iniciativa nossa, e nem mesmo do Papa, mas uma tarefa que toda a Igreja recebe de Deus. De fato, não é possível existir uma missão se não houver um "mandante" e um "mandado". O mandante por excelência é Deus Pai, o Criador do mundo, no qual todas as coisas no céu e na terra tiveram a sua origem, o qual amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito e o Espírito Santo (Jo 3,16). Que os homens e mulheres atinjam este dom, que se tornem colaboradores de sua misericórdia, faz parte do plano de Deus desde o princípio: desde então, nos recessos mais profundos da eternidade divina, o Pai decidiu criar os homens à imagem do Filho e o Filho ficou disponível a se encarnar para sua salvação, e, este entendimento entre pai e filho foi selado pelo consentimento do Espírito, que não é senão amor e dom. A partir de então, até hoje, toda missão na Igreja é participação na missão do Filho e do Espírito Santo, é fruto da misericórdia do Pai. A primeira missionária, a primeira colaboradora da Trindade Santa é justamente Maria: também nela o Pai tinha pensado desde toda a eternidade, para que tornasse possível, com seu sim, o ingresso do Filho ao mundo. À sombra de seu sim repousa também o nosso sim. Olhando para ela aprendemos o que significa se tornar missionários da misericórdia: da carne de Maria, de fato, o Filho pode ter pés, mãos e voz para encontrar os homens e reconduzí-los ao Pai.
Ao lermos os Evangelhos percebemos que de cada encontro pessoal com Jesus emana uma corrente de misericórdia, que passando pela pessoa diretamente tocada por Ele, atinge-o e toca muitos outros. Em alguns casos houve uma "ordem" de Jesus: os discípulos foram escolhidos para estarem com Ele e para serem mandados por Ele com plenos poderes (Mc 3, 14-15); o leproso curado, foi mandado aos sacerdotes como testemunha viva da obra de Jesus (Mc 1,44); o endemoniado liberto, que queria seguir Jesus, foi, ao invés disso, mandado ir "aos seus", para anunciar "aquilo que o Senhor lhe fez e a misericórdia que teve para com ele" (Mc 5,15-20); Maria Madalena, consolada pelo Ressuscitado, foi mandada proclamar aos discípulos a ressurreição (Jo 20,17). Mas também há casos onde a pessoa encontrada por Jesus, volta-se espontaneamente aos outros: Zaqueu, beneficiado pela visita de Jesus, decide beneficiar os pobres com os seus bens (Lc 19-8); a Samaritana, satisfeita pelo senhor, deixa o seu cântaro e corre para convidar os homens para se embeberem Dele (Jo 4,28-29). O encontro com a misericórdia de Deus em Jesus, em suma, tem como "fruto natural" o impulso de sair de si mesmo para ir de encontro aos outros. Não é necessário que eles estejam "longe", podem ser familiares também, vizinhos ou colegas de trabalho, o que conta é perceber a urgência interior de fazê-los provar e ver "como o Senhor é bom" (Sal 33,9).
Perguntemo-nos: sinto a urgência de testemunhar o amor de Deus no cotidiano, ou sou fechado em mim mesmo na perene espera de que alguém tome a iniciativa?

Decidir-se como Maria
O nosso envolvimento na missão do Filho, todavia, está condicionado à nossa disponibilidade de amadurecer na atenção e na prontidão, como Maria: como ela, devemos nos tornar uma só coisa com Jesus , ao ponto de ter em nós,os seus próprios sentimentos de acolhida diante de todos, sem excluir ninguém (Fil 2,3). Definir a Igreja "Esposa de Cristo", significa reconhecer que ela tem o seu fundamento justamente nesta misteriosa e profunda comunhão do fazer e do sentir. A esposa, de fato, tendo em si mesmo a capacidade de gerar a vida, permanece estéril se não se unir ao esposo. Do mesmo modo, os projetos e as iniciativas da Igreja ficam destinados à esterilidade se os crentes não se preocuparem , antes de tudo, em se deixarem fecundar pela ação de Deus. A escolha como Esposa, além disso, é para a Igreja - como para Maria - um dom, não um mérito, um sinal eloquente da misericórdia de Deus que pegou um povo de pecadores para fazer dele uma comunidade salva (Ez 16,8-12). Quanto mais soubermos entrar nesta ótica, tanto mais compreenderemos o que o Papa Francisco chama de "conversão pastoral" e "Igreja em saída".
No momento em que Maria disse sim ao anjo, foi criada entre ela e a Trindade uma modalidade de relação jamais vista antes entre Deus e uma criatura. "No Antigo Testamento -escreve Balthasar - o próprio céu se abriu e emanou-se a Palavra e o Espírito de Deus, mas o Espírito nunca emanara a sua sombra sobre o seio de uma virgem". O Espírito e o Filho, no momento do consentimento, realmente vêm habitar nela, e durante a gravidez, enquanto o pequeno Jesus - a Palavra onipotente do Pai! -, como todo pequeno ser humano, se deixa formar indefeso e silencioso em seu seio, o Espírito opera ativamente nela, que por sua parte, jamais deixa de meditar em seu coração, as palavras do anjo e, em obediência a ele, decide e age. Em particular, da boca do anjo Maria soube de um fato - "Isabel... concebeu um filho" -; ela compreendeu então - "a Deus nada é impossível" (Lc 1,37) - e decidiu agir em conformidade, colocando se "a caminho" (Lc 1,39). A notícia da gravidez de sua prima, de fato, foi para ela um apelo implícito: "Isabel precisa de você!".
Podemos imaginar a reação dos pais de Maria, diante da estranheza desta partida repentina. Isabel, de fato, se manteve "escondida" até o quinto mês, e eles não sabiam de seu estado (Lc1,24). "Como pensa em partir agora, que está para se casar? - terão dito a Maria -Pense em si mesmo, pense em se preparar!". Mas Maria decidiu por em prática o que intuiu, que não se deve se fechar diante de ninguém. Santo Ambrósio mostra-nos que ela "chegou rapidamente" a Isabel e comenta assim estas palavras: "A graça do Espírito Santo não permite demora". "É como se nos fosse dito - escreve o Cardeal Martini - que uma coisa, uma vez decidida no profundo de nosso coração, deve ser feita, porque do contrário apodrece dentro. Isto vale também para as pequenas coisas... uma visita que é difícil para nós fazermos, uma iniciativa que nos pesa, um trabalho que decidimos cumprir mas que continuamos a adiar. Os adiamentos, os atrasos, nos consome, nos apodrecem por dentro... quanto é perigoso não fazer aquilo que deve ser feito e que é certo e verdadeiro".
Durante o Congresso, tivemos a alegria de escutar o testemunho dos filhos do venerável Atilio Giordani, cooperador salesiano. Um homem "normal", cuja vida foi privada de acontecimentos extraordinários: funcionário da Pirelli, muito empenhado no oratório, esposo e pai exemplar. Aos cinquenta e nove anos, seguindo o exemplo do filho Pier Giorgio, aderiu à obra missionária "Mato Grosso", e junto com sua esposa e sua filha Paola, parte para o encontrar no Brasil. Em um escrito fala assim sobre esta sua escolha: "Na vida não é preciso tanto, dizer as coisas que devemos fazer. Não serve tanto o pregar, o importante é aquilo que se faz. É preciso demonstrar através da vida que levamos, aquilo em que acreditamos. Não há pregações para fazermos. A pregação é o viver". A morte o levou de surpresa, em Campo Grande, enquanto estava falando em um encontro missionário: quando se sente fraco, passa a palavra para o seu filho, que estava ao lado: "Pier Giorgio, continue você". A filha Maria das Graças comenta: "Jamais houvera um corte na vida de meu pai, as coisas que escolheu, prosseguiu até o fim... foi bom que tenha sido assim, e que tenha encontrado o Senhor enquanto ainda corria com os jovens".
Perguntemo-nos: existe uma decisão, ainda que pequena, que sei que devo tomar, mas que continuo adiando?

Apreendidos pelo Espírito, como Isabel
Um belo mosaico de Pe. Rupnick convida-nos a meditar no encontro de Maria com sua prima Isabel, uma antecipação do futuro encontro de seus filhos: Maria leva no peito, um medalhão com o rosto de Jesus, enquanto nos ombros de Isabel se encontra João, o Batista, que, com a mão direita indica Jesus e na esquerda tem uma concha, símbolo do batismo. Sua mãe, indica com a mão direita, o ventre de Maria e aproxima a esquerda num gesto de bênção. Maria, em resposta, eleva a mão direita aos céus, ao Senhor que "vira a humildade de sua serva" (Lc 1,48). Só Jesus, por enquanto, nada faz, deixa-se levar e bendizer, da mesma forma que se deixará batizar.
O anjo que apareceu a Zacarias no templo, havia descrito assim, a missão confiada a João:: "será repleto do Espírito Santo... e reconduzirá muitos filhos de Israel ao Senhor" (Lc1,16-17). O seu testemunho realmente será um marco importante para Jesus no início de seu ministério, mas a sua capacidade de reconhecer em Jesus, o Messias prometido há séculos, manifesta-se desde o seio materno: Isabel sente a crinaça estremecer em seu ventre e, cumulada do Espírito Santo, reconhece em sua prima, a Mãe do Senhor. O mesmo Espírito, que no dia do Batismo de Jesus, descerá sobre Ele, "de forma corpórea, como uma pomba" (Lc 3,22), é protagonista escondido no encontro entre as duas mães e os filhos que levam em seus ventres. Também o mosaico enfatiza isto: uma coluna de ouro desce dos céus, toca João e Isabel e inunda Maria.
Comentando o encontro entre as gerações que se realiza na presença de Jesus no templo, no Congresso de Maria Auxiliadora, Pe. Patrizio Rota Scalabrini mostrava que "o texto não é apenas a ilustração da dinâmica de gerações necessária das famílias e da comunidade estendida, entendida como uma rede de famílias, mas revela como a salvação de Deus percorre as gerações e as faz encontrar em um nível mais profundo do que o puro dado biológico e social, aquele através do qual as pessoas são chamadas a se tornarem filhos e filhas no Filho". A mesma coisa se pode afirmar sobre o encontro entre a jovem Virgem Maria e a esposa idosa, Isabel: "este tipo de comunicação é o paradigma de como a comunidade inteira se deve se encarregar de testemunhar a fé e a esperança às novas gerações". Interessa-nos, então, como educadores - pais e consagrados - ver bem de que maneira o Espírito Santo dirigiu a troca de fé e de esperança que aconteceu entre as duas mulheres, para podermos ser mais dóceis ao colaborarmos com a sua obra, na certeza de que onde o diretor é o Espírito , as relações interpessoais encontram a força para sair dos clichês habituais e se renovem pela criatividade da caridade.
O Espírito abre os olhos das primas para reconhecerem uma na outra a presença de Deus e a obra de sua misericórdia, que então, atravessa o seu seio, mas, como Maria canta no Magnificat, vem de bem antes e, com olhos de preferência pelos mais pobres, se expande sem medida, "de geração em geração" (Lc 1,50). Esta atitude, esta capacidade de ver a ação de Deus no outro é o que nos dispõe ao serviço cristão: Maria não vai a Isabel para demonstrar que é especial, nem para ter o poder sobre ela e Isabel não louva Maria para receber algo em troca. Este olhar limpo em direção ao outro é ao que Dom Bosco se refere quando fala do "ponto acessível ao bem", ou o ponto em que o bem encontrou lugar, já começara a operar, mesmo que a própria pessoa não se dera conta disso: é desse ponto que o educador deve partir se quer colaborar com o Espírito Santo que está presente, devemos acreditar nisso, no coração de cada pessoa. Quando vamos ao outro com resignações, com pessimismo, com sentimentos de rivalidade, com chantagens emocionais ou projetos secretos de domínio, podemos estar certos de que não é o Espírito Santo a nos guiar, mas o "inimigo de nossa salvação". Por isto é algo bom e justo limpar de nossas mentes e de nossos corações, os pensamentos e sentimentos que nos arruinam a nós mesmos e aos outros, para que possamos deixar espaço livre para o Espírito Santo!
"A misericórdia do Senhor - escreve o profeta Jeremias - não termina... é renovada a cada manhã" (Lam 3,22-23). Um pequeno "exercício espiritual" pode nos ajudar para crescermos nesta conscientização: toda noite, antes de dormir, peço a ajuda do Espírito Santo e de Maria e repasso o dia, em busca dos sinais da presença de Deus e de sua obra em mim e nas pessoas que estão ao meu lado.

Notícias

TURIM- VALDOCCO -XXV DIA MARIANO
Domingo, dia 25 de outubro de 2015, em um clima mariano de comunhão e de alegria, a ADMA do Piemonte, Vale d'Aosta e Lombardia, celebraram o XXV Dia Mariano. Diante de mais ou menos 300 pessoas, Ir. Linda Pocher, FMA, propôs a segunda catequese do itinerário deste ano da Associação dedicado, em sintonia com o Jubileu da Misericórdia que iniciará dia 8 de dezembro: Com Maria e como Maria , regenerados em sua Misericórdia. A misericórdia é o seio da fé. Depois houve um momento de Adoração e de interiorização da proposta de formação.
Em seguida, o Sr. Tullio Lucca, Presidente da ADMA Primária, apresentou o significado do ser "Devotos de Maria Auxiliadora", referindo-se à espiritualidade de São Francisco de Sales, à luz de sua obra fundamental Introdução à vida devota. Seguiram-se dois testemunhos: um de Federico Rissone e Teresa Furlan, que contaram a sua experiência como jovens da ADMA no encontro mundial dos jovens SYM (Movimento Juvenil Salesiano), no encerramento do bicentenário de Dom Bosco; e então, Sergio e Cecilia Durighello, um casal da ADMA Primária, partilharam a sua experiência do Congresso Internacional de Maria Auxiliadora, vivida em uma perspectiva de acolhida e de serviço aos participantes.
À tarde, no Santuário de Maria Auxiliadora, após a reza do Terço em comunidade, houve a solene Celebração da Eucaristia, presidida por Pe. Franco Lotto, Reitor da Basílica de Maria Auxiliadora. Durante a celebração, 26 pessoas pertencentes aos grupos da ADMA Primária (6 jovens, 5 casais, 3 seniors), de Arese (1), de Ivrea (1) e da Comunidade Shalom de Palazzolo sobre o Oglio (5 jovens), entraram para fazer parte da Associação.
Este Dia Mariano confirmou como Maria Auxiliadora acompanha e sustenta a sua Associação, renovando-a e manifestando a misericórdia de Deus de geração em geração.

CONGO - INÍCIO DA ADMA
No dia 24 de setembro de 2015 houve a primeira reunião de oração, de meditação e de conhecimento recíproco para iniciar a ADMA na Inspetoria do Congo (Africa Central). O encontro, coordenado por Pe. Albert Kabuge, teve o momento de formação com o tema "Maria convida-nos a rezar pelas famílias e pela santidade da família". Em seguida houve um primeiro conhecimento do Regulamento e uma troca sobre as atividades mensais e frequência aos encontros. Foi ressaltada a necessidade de se constituir um núcleo de animação bem formado, antes de iniciar os grupos locais.

SICILIA - ENCONTRO DOS CONSELHOS LOCAIS
No dia 04 de outubro de 2015 aconteceu o encontro dos Conselhos Locais da ADMA da Sicilia, no Instituto das F.M.A. de São Cataldo. Durante o mesmo houve a eleição do novo Conselho Inspetorial. Estiveram presentes Pe. Pierluigi Cameroni, animador espiritual mundial e os animadores inspetoriais da Sicilia; Pe. Angelo Grasso e Irmã Carmelina Cappello. Estiveram presentes mais de 120 participantes, representando quase todos os centros da ADMA da ilha.
Foi um dia intenso e entusiasmador ouvir Pe. Pierluigi Cameroni falar, na primeira manhã, sobre o VII Congresso Internacional de Maria Auxiliadora, acontecido em Turim, de 6 a 9 de agosto de 2015. O animador espiritual mundial recomendou que seja dada maior atenção às famílias, primeiro lugar de educação e de evangelização, educar as famílias para educar os jovens. A ADMA não deve se reduzir a práticas de piedade, mas deve ser uma experiência partilhada de fé que transforma a vida: trabalhar para Nossa Senhora levando a alegria no coração e fazê-lo segundo o espírito do Magnificat, colocando-se a serviço dos irmãos para o bem da sociedade que está perdendo os valores essenciais da existência humana.
Deixou-nos estes empenhos:
- Renovar o sistema preventivo nas famílias através do diálogo, do querer-se bem e da oração
- Serem dóceis ao Espírito Santo de modo que possam ser usados como ELE quer.
Na primeira tarde aconteceu a eleição do novo Conselho Inspetorial da Sicilia, composto por quatro membros a nível regional e seis a nível zonal.
Os eleitos a nível regional são: Auteri Giuseppe, Calvino Angela Rita, Fichera Grazia Maria e Petitto Venera.
A nível zonal, Sicilia Oriental: Anticonome Lucia, Gravagna Maria e Leonardo Anna.
A nível zonal, Sicilia Ocidental: Martiradonna Maria, Puccio Agnese e Valdes Teresa.
(Venera Petitto)

AOSTA (ITÁLIA) _ENCONTRO DAS FAMÍLIAS
"Esposos e pais - Viver em família, a alegria do Evangelho" foi o título do retiro espiritual organizado pela ADMA no Priorado de Saint-Pierre, dias 11 e 12 de outubro de 2015. Uma centena de pessoas estiveram presentes para escutar a catequese de Pe. Roberto Carelli (salesiano, docente de teologia e especialista em problemáticas familiares) que ofereceu aos casais algumas reflexões sobre o tema "Felizes e Casados: a graça do matrimônio" e sobre "Laços de liberdade: a educação dos filhos à luz da fé". Dois grandes temas sobre os quais Pe. Carelli propôs dois diferentes "decálogos", conselhos práticos e reflexões espirituais para equilibrar bem; em primeiro lugar, a relação entre os esposos e por consequência, a relação entre pais e filhos.
A ADMA das famílias propõe um itinerário para um amor entre os cônjuges que se renova a cada dia, um crescimento espiritual como indivíduos e como famílias, uma formação como pais na difícil tarefa educativa, uma amizade entre os filhos que lhes dá capacidade de compartilhar a fé e de testemunhá-la aos outros. Estar na escola de Dom Bosco significa cultivar na família, diversos aspectos do carisma salesiano: a alegria de viver, o cuidado com a oração, a união com Deus no cotidiano, o serviço ao próximo, em particular aos jovens e aos pobres, a confiança em Deus , que é Pai providente, a confiança em Maria , que é Mãe e Mestra.

BILBAO-DEUSTO - INÍCIO DO ANO DA ASSOCIAÇÃO
No dia 17 de outubro de 2015, teve início o caminhar da associação da ADMA na casa salesiana de Bilbao-Deusto, com a participação de 110 associados. Tudo iniciou-se com uma fervorosa Celebração Eucarística, o que nos dá força e nos impulsiona na caminhada.
Foi feita uma avaliação do caminho percorrido no ano passado: os diversos lugares por onde estivemos, a programação, os encontros nas diversas regiões, os Exercícios , as peregrinações.
Depois apresentamos as novas etapas para o corrente ano 2015-2016. Este ano concentramos a nossa atenção: no Congresso de Maria Auxiliadora acontecido recentemente; no ano da misericórdia que está para se iniciar; no Sínodo das famílias e na Estréia do Reitor-Mor. Temos bastante material para ser usado de acordo com os interesses e necessidades de cada centro. Finalizamos com um almoço fraterno e animada confraternização.
Que Maria Auxiliadora abençoe, como sempre faz, os nossos bons propósitos e os trabalhos! (Pe. Arcadio, SDB, Animador espiritual)

PARANAQUE CITY (FILIPINAS) - ENCONTRO MARIANO DA FAMÍLIA SALESIANA
A Família Salesiana da Próvíncia das Filipinas Norte teve uma reunião mariana no dia 24 de outubro de 2015, no Santuário Nacional de Maria Auxiliadora. A ADMA foi a principal organizadora deste evento. Estiveram presentes diversos ramos da Família Salesiana: estudantes das escolas Dom Bosco / FMA e centros de formação, os jovens dos centros juvenis e das paróquias de Dom Bosco / FMA e os leigos colaboradores da Família Salesiana. Este evento mariano quis aprofundar a devoção a Maria Auxiliadora no coração daqueles que pertencem ao ambiente salesiano segundo o exemplo de São João Bosco e estimular todos a serem ativos na propagação da devoção às pessoas que encontrarem. O tema era a vida de Dom Bosco, colocando em evidência a sua devoção a Maria, depois a Estréia 2015: "Como Dom Bosco, com os jovens, para os jovens". Pe. Nestor Impelido, SDB, animador da ADMA, saudou as autoridades. Ir. Maria Asela B. Chavez, FMA, Cl. Keith Amodia, SDB e a senhora Angie Ebriega dirigiram o grupo na reza do Santo Terço. O Clube Laura Vicunha da Paróquia de Santo Ildefonso, de Makati City, dirigiu a oração inicial, interpretando a canção "Mary's Song of Love".
O Santo Terço foi dividido em cinco momentos, apresentando a vida de São João Bosco com Maria, nossa Mãe.
1º - Casa Biglione: a fonte da vida.
2º - Os Becchi: o marco dos primeiros passos.
3º - O seminário de Chieri: o salto da fé.
4º - O Convite Eclesiástico: o início de seu ministério.
5º - O alpendre Pinardi: a luz da missão.
Após cada dezena tinha um número inspirado pelos jovens ou testemunho pessoal ou de grupo.
O Coro Auxilium, da paróquia São Domingos Sávio, cantou "At the Beginning" para o primeiro momento. A família Jimenez da ADMA de San Juan Nepomuceno, deu um testemunho mariano durante o segundo momento. Para o 3º momento, Irmã Mylene Sanchez, FMA e Irmã Leila Montero, FMA contaram suas histórias vocacionais. No 4º momento, o Sr. Stephen Borja deu o seu testemunho pessoal como educador da juventude. E para o 5º momento, Pe. Remo Bati, SDB, partilhou o seu mnistério entre os migrantes filipinos na Itália.
Após a reza do Santo Terço, a Hulag Dancers do Colégio Maria Auxiliadora, Canlubang, Laguna, e os jovens do Dom Bosco Youth Center, Paróquia de São João Bosco, de Tondo, fizeram a sua apresentação mariana, para a alegria de todos.
Depois houve a oferta das flores por parte de todos os presentes. Esta homenagem foi acompanhada por cantos marianos da comunidade de pré-noviciado e pós-noviciado de Canlubang, A Celebração Eucarística foi presidida por Pe. John Tamayo, SDB, missionário na Tailândia. Entre os concelebrantes esteve o Pe. Paul Bicomong, Inspetor FIN. VIVA MARIA!


   INFO ADMA     -     INFO ADMA     -     INFO ADMA    -     INFO ADMA      

SEDE ADMA | Torino-Valdocco, Italia:
ADMA | Santuario Basilica di Maria Ausiliatrice
Via Maria Ausiliatrice 32 | 10152 TORINO-VALDOCCO / ITALIA
Tel.: 0039-011-5224216 / Fax.: 0039-011-52224213
E-mail: adma.torino@tiscali.it 
                  
Presidente ADMA: Signor LUCCA TULLIO ((encargo até 2014) E-mail: lucca.tullio@alice.it
Animador Espiritual da ADMA: Don Pier Luigi CAMERONI |
Casa Generalizia SDB - Via Pisana 111 - 00163 ROMA -
E-mail: pcameroni@sdb.org
                       
Internet: www.donbosco-torino.itwww.admadonbosco.org


Visita Nr.